quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Moro quer levar modelo da Lava-Jato para Justiça

O juiz Sérgio Moro, futuro ministro da Justiça e da Segurança Pública do governo de Jair Bolsonaro (PSL), disse nesta terça-feira que em sua gestão na pasta pretende criar forças-tarefa ao estilo da Operação Lava-Jato para combater o crime organizado no País. Em entrevista na sede da Justiça Federal em Curitiba - a primeira concedida após anunciar que aceitava o convite do presidente eleito -, Moro afirmou que pretende "avançar na pauta do enfrentamento não apenas à corrupção como ao crime organizado". 

Para integrar sua equipe na pasta, já chamada de superministério por retomar o controle da Polícia Federal e outros órgãos de controle, Moro confirmou que vai convidar "nomes da Lava Jato". "Pretendo chamar pessoas absolutamente qualificadas e nomes da Lava Jato", disse. 

"Nova York, na década de 1980, combateu cinco famílias poderosas por meio da criação de forças-tarefa. O FBI, em conjunto com as Promotorias locais ou federais, logrou desmantelar organizações", afirmou o juiz federal. 

A Lava-Jato, deflagrada em março de 2014, atacou um esquema de corrupção e cartel instalado na Petrobras. A operação reuniu a PF, a Procuradoria da República e a Receita Federal, em alto grau de entrosamento com a Justiça - compreendeu até o momento 53 fases ostensivas e levou à prisão empreiteiros, doleiros, políticos e ex-dirigentes estratégicos da estatal petrolífera. A operação, que gerou desdobramentos pelo País, porém, foi alvo de críticas, especialmente de juristas e criminalistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário