quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Prefeito alega ter matado ex-servidor por receber críticas

Prestes a completar uma semana do homicídio que aterrorizou moradores de Santana do Acaraú, na Zona Norte do Estado, o prefeito do Município, Marcelo Arcanjo, de 60 anos, se entregou à Polícia. Na manhã de ontem, ele compareceu junto ao seu advogado, na Delegacia Geral da Polícia Civil, em Fortaleza, e foi preso temporariamente. 

A investigação aponta que o político cometeu um homicídio duplamente qualificado. A vítima do crime foi identificada como Augusto César do Nascimento, assassinado no último dia 29 de agosto, enquanto jantava na sua própria residência.

Em coletiva de imprensa realizada ontem, o diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI) Norte, delegado Marcos Aurélio França, afirma que a linha de investigação prevê, até o momento, duas qualificadoras para o crime de homicídio: motivo torpe e sem possibilidade de defesa por parte da vítima. 

Conforme o delegado, em depoimento, Marcelo Arcanjo disse que o “crime se deu porque a vítima estava falando mal da sua gestão”, após a vítima ter sido demitida da Prefeitura de Santana do Acaraú. O diretor do DPI Norte acrescenta que a briga entre as duas partes também tem relação com a política. 

A vítima se sentia desprestigiada pelo tratamento do gestor e achava que tinha sido injustiçada porque foi demitida. E, por essa razão, criticava a gestão municipal publicamente. Augusto César ainda teria feito comentários que a primeira dama teria recebido R$ 10 mil em propina. “Isso enfureceu o autor, que foi até a casa da vítima para tomar satisfações da crítica”, conta o delegado Marcos Aurélio. 

O prefeito afirmou aos policiais que não tinha a intenção de assassinar o ex-motorista. Segundo ele, o disparo foi efetuado porque o homem tentou agarrá-lo pelo pescoço. Entretanto, as testemunhas do crime negam esta versão. 

“Por ser policial federal aposentado, ele (prefeito) andava armado e tinha posse regular. Não há informações que a vítima o teria agredido, reagido ou tido chance de se defender. A morte se deu em frente à mãe da vítima”, relata o delegado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário