domingo, 29 de julho de 2018

Após encontro, PT estadual decide não lançar candidato ao Senado

O Partido dos Trabalhadores (PT) não terá um candidato próprio ao Senado nas eleições deste ano. Em votação, 200 dos 270 delegados da base do partido decidiram não indicar um nome para a disputa pelo Senado Federal. A decisão ocorreu durante o Encontro de Tática Eleitoral do partido, ocorrido nesta sábado, 28, no Hotel Praia Centro, em Fortaleza. 

Com isso, o PT estadual vai apoiar o candidato do PDT ao Senado, o ex-governador Cid Gomes. Cid ainda não confirmou que será candidato, mas aliados já dão como certa a candidatura do pedetista. A decisão do PT pode beneficiar também a reeleição do senador Eunício Oliveira (MDB), presidente do Congresso Nacional. Eunício se aproximou da gestão do governador Camilo Santana (PT), com quem mantém uma parceria administrativa desde 2016. Em 2014, os dois estão de lados opostos na disputa pelo Governo do Estado. 

Presidente estadual do PT, Moisés Braz disse que a decisão – de o partido não ter candidato ao Senado – já era esperada. O presidente do diretório estadual do partido disse, porém, que o PT não irá se coligar com o MDB, o que alimenta a tese de um apoio informal de Camilo à reeleição de Eunício. “O PT não vai fazer coligação com o MDB. Isso ficou muito claro. (O MDB) tem todo direito de indicar seu senador. Claro, se os militantes do PT e o próprio governador quiser apoiar, não vamos vetar isso. Agora, uma coisa está clara, não iremos fazer qualquer coligação com o MDB nessa eleição”, disse. 

O deputado federal José Guimarães, que esteve presente no encontro deste sábado, destacou que o PT saiu unido em torno da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República e de Camilo Santana ao Governo do Estado. “O PT sai muito unido em todo da nossa centralidade, que é Lula e Camilo. Tudo mais é presidido por essa centralidade. Então, sai um PT forte, com ampla chances, aqui no Ceará, de eleger o Camilo no primeiro turno”, destacou o parlamentar. 

José Guimarães não descartou a possibilidade de uma chapa pura do PT na eleição proporcional (deputados estaduais e federais), mas lembrou que a possibilidade de fazer coligações com outros partidos será debatida na próxima semana, “entre segunda e quinta-feira”. O deputado ainda lembrou que o PT vai continuar mantendo um diálogo constante com o governador Camilo Santana, que trabalha nos bastidores para que o PT não saia isolado nem na disputa majoritária (Governo do Estado e Senado) nem na proporcional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário